Brinquedos Marklin

E-mail Imprimir PDF
UM BREVE HISTÓRICO DA FABRICA DE BRINQUEDOS MAIS ANTIGA DO MUNDO: A MARKLIN

A coleção aqui apresentada é de trens elétricos de bitola O ou seja, são trens que rodam em trilhos com 32 mm de largura, o que corresponde à escala 1:45 ( na Alemanha ). A maioria dos trens aqui mostrados foram fabricados na década de 1930 com funcionamento elétrico de baixa voltagem de 20 volts com transformador ligado à rede elétrica, a única exceção é a locomotiva e os vagões mostrados nas fotos 1 a 6 que representam o trem que fazia a linha Saint Gotthard na Suiça que foram fabricados em 1919 movidos à alta voltagem de 110 ou 220 volts com variador de velocidade ligado à rede elétrica. Muitas peças estão com sua caixa original e folheto de instruções. Todas as peças funcionam perfeitamente. Outra característica comum é que todas as peças aqui apresentadas foram fabricadas pela Marklin, cuja estória apresentamos à seguir:

No dia 20 de Julho de 1989 foi a leilão pela firma Cristies a maior coleção de brinquedos antigos jamais reunida. Tratava-se de 3.000 raridades da coleção do Conde Antônio Giansanti Coluzzi, a grande maioria de trens em miniatura do virar do século como locomotivas com mecanismo a corda e a vapor. Era a primeira vez que uma coleção de tal envergadura e qualidade aparecia no mercado.

Uma a uma as peças foram vendidas com recorde de valor. Uma locomotiva Coupe-Vent é arrematada por 11.000 libras esterlinas e uma 231 PLM é vendida por 12.000 libras, outra locomotiva, a vapor, encomendada pela família Wurttemberg em 1912 atinge 29.700 libras.

Esses modelos de ótima qualidade têm uma coisa em comum: foram produzidos pela firma Marklin, a melhor, maior e mais antiga fabrica de brinquedos do mundo. Seus produtos têm engenho e precisão lendários.

Os trens Marklin praticamente não precisam de conserto, só se quebram se a gente os jogar pela janela, afirmou certa vez Clive Lamming, um dos maiores especialistas europeus em trens elétricos.

Quando você pega num trem da Marklin está segurando História. Todos os inventos técnicos e detalhes das ferrovias de verdade podem ser encontrados fielmente reproduzidos em seus modelos. Um exemplo famoso é a automotriz Schienezeppelin, movida à hélice de avião e com formato dos famosos dirigíveis que em 1931 bateu o recorde de velocidade atingindo 230 km/h. No ano seguinte réplicas dessa automotriz estavam andando nos trilhos da Marklin. A prateada Zeppelin tornou-se um dos itens clássicos da firma sendo fabricada até os dias de hoje.

Theodor Friedrich Wilhelm Marklin ao fundar a fabrica em 1859 em Goppingen, uma cidade no sul da Alemanha, não imaginou que seus brinquedos fossem causar tanto fascínio. Theodor morreu passados sete anos e sua mulher Caroline dirigiu os negócios ate 1888 quando seus filhos Eugen e Karl, ambos com vinte e poucos anos tomaram conta dele. Inspirados na crescente popularidade dos caminhos de ferro que haviam começado a operar na Alemanha em 1835, eles começaram a fabricar trens em miniatura. Logo de inicio os irmãos Marklin demonstraram talento para inovar; na feira de Leipzig de 1891, apresentaram ao mundo o primeiro trem em miniatura com trilhos modulados de tal forma que se podia ampliar indefinidamente a linha férrea simplesmente adicionando-se mais trilhos. Desenhada para a bitola 1 com 45 mm de largura entre trilhos, era uma idéia revolucionária, sendo seguida por todas as fabricas de trens da época. Seis anos depois introduziram outra novidade sensacional, de novo na feira de Leipzig: o primeiro trem movido à eletricidade do mundo. Em vez de mecanismo a corda ou vapor este andava com corrente elétrica de 220 volts, uma mudança arrojada, uma vez que a maioria dos lares não tinha ainda eletricidade. Por volta de 1900 construíram a famosa fabrica de tijolos brancos que é sua sede ate hoje, resistindo às duas Guerras Mundiais, é dessa época também a introdução dos trens bitola O com 35 mm de largura entre trilhos e com escala 1:45. Por volta de 1930 os irmãos tomaram uma momentosa decisão: a de tornar a firma especializada em trens de brinquedos.

Continuaram a prosperar e inovar sempre: em 1935 lançaram outra idéia revolucionária, diminuíram pela terceira vez o tamanho dos trens com a bitola HO de 16,5 mm de largura entre trilhos e com escala 1:87.

Em 1972 a Marklin surpreendeu o mundo ao lançar a bitola Z com 6,5 mm de largura entre trilhos e na escala 1:220, produzidos com exatidão de relojoaria esses trens são o que há de mais preciso atualmente em matéria de brinquedo. Para se ter uma idéia da precisão e leveza desses trens basta lembrar que uma migalha de pão é suficiente para faze-los descarrilhar...

Sem contar os dias atuais em que a Marklin é uma poderosa industria que fabrica 50 por cento dos trens elétricos produzidos no mundo, essa fabrica teve dois períodos de opulência de produção que vale ressaltar: A primeira por volta de 1900 até o final da primeira Guerra Mundial, época que sua produção não economizava em acabamento e detalhes beirando o artesanal, produção cara, mas que tinha clientes certos, a nobreza Européia. É dessa época os brinquedos mais notáveis e caros jamais fabricados. Para se ter uma idéia um navio Marklin dessa época foi arrematado recentemente em leilão por 120.000 libras esterlinas...

Outra época maravilhosa é a que vai de 1930 até a segunda Guerra Mundial. Agora com produção voltada quase que totalmente aos trens e com qualidade excepcional, é um período de grande variedade de produção. O catalogo de 1938 é uma delicia de ser observado pela grande quantidade de itens. Nessa época eram produzidos trens na bitola O, e OO, que representa meio O, que posteriormente seria mais conhecida pela denominação inglesa de HO, ou seja, Half O, mas esse é um tema para uma futura coleção...

 

Publicidade